Três anos de calote no IPREV

O governo André Pacheco/Russinho não pagou NENHUM MÊS da contribuição patronal ao IPREV, Instituto de Previdência que faz a gestão dos recursos do fundo de aposentadoria dos funcionários municipais. Os técnicos da Secretaria da Fazenda confirmaram esta informação na Audiência Pública realizada no dia 27 de maio, na Câmara Municipal de Viamão. “A Prefeitura encaminhou pedido de parcelamento, pela terceira vez. Já são quase R$ 100 milhões que André Pacheco e  Russinho não pagaram, deixando a dívida para os próximos prefeitos”, denuncia Francinei Bonatto.

ENTENDA O CASO – Os funcionários públicos municipais têm descontado todos os meses 14% dos seus salários, que são depositados ao Instituto de Previdência – IPREV, para que sejam utilizados nas suas aposentadorias. Da mesma forma, a Prefeitura necessita depositar a “parcela patronal” de 18%.

O TAMANHO DO CALOTE – O quadro abaixo, apresentado pela Secretaria Municipal da Fazenda não deixa dúvidas. No período de 2017 a 2019 não foi paga NENHUMA PARCELA das obrigações da Prefeitura com os funcionários. Hoje, são R$ 148 milhões em dívida com o IPREV e com os funcionários municipais. Deste montante, praticamente R$ 100 milhões se referem ao período de André Pacheco e Russinho, sendo outros 35 milhões referentes ao período dos prefeitos Ridi e Alex, ambos do PT.

  • 2017: R$ 43 MILHÕES PARCELADOS EM 200x – Referente ao parcelamento do Alex que deixaram atrasar + as contribuições de 2017
  • 2019: R$ 47 MILHÕES PARCELADOS EM 60x – Referente às contribuições de setembro de 2018 a abril de 2019 não pagas.
  • 2020: R$ 38 MILHÕES PARCELADOS EM 60x – Referente às contribuições de maio de 2019 a abril de 2020 não pagas.

Resumindo, os próximos prefeitos terão parcelamentos que somam quase R$ 2 milhões mensais para pagar, fruto do não recolhimento das contribuições na gestão André Pacheco e Russinho.

André Pacheco e Russinho colocam em risco a sustentabilidade da Prefeitura e a aposentadoria dos funcionários e deixam uma herança pesada para os próximos prefeitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *